Parecer da AGU provoca onda de despejos, morte e desesperança para os Guarani Kaiowá e Terena no MS

Parecer do governo Temer paralisa demarcações e reforça onda de despejos contra comunidades indígenas no Mato Grosso do Sul

Os efeitos do Parecer 01/2017 da Advocacia-Geral da União (AGU), o chamado Parecer Antidemarcação, já podem ser sentidos pelos povos indígenas do Mato Grosso do Sul, sobretudo na região de Dourados. O estado possui um acentuado passivo com relação à regularização fundiária de territórios tradicionais no país. Leia Mais…

Auditores-fiscais do trabalho em MT cruzam os braços pela revogação da Portaria 1.129 do MTb

Fotos: Mário Hashimoto
Fotos: Mário Hashimoto

Auditores-fiscais do Trabalho de Mato Grosso aderiram à paralisação nacional da categoria, organizada pelo Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (Sinait) e cruzaram os braços nesta quarta-feira (25) contra a Portaria 1.129, que altera o conceito de trabalho escravo disciplinado pelo Código Penal e por convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT). As atividades concentraram-se pela manhã em frente à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso (SRTE/MT), no bairro Porto, em Cuiabá, e atraiu cerca de 80 pessoas, entre auditores-fiscais e apoiadores. Leia Mais…

Servidores denunciam desmonte da Coordenação de Proteção de Índios Isolados

CARTA DOS SERVIDORES DAS FRENTES DE PROTEÇÃO ETNOAMBIENTAL E DA COORDENAÇÃO-GERAL DE ÍNDIOS ISOLADOS E DE RECENTE CONTATO DA FUNAI

Ao Presidente da Funai, Sr. Franklimberg Ribeiro
À Diretora de Proteção Territorial, Sra. Azelene Inácio

Senhor Presidente e Senhora Diretora,

Na última semana, nós, servidores da Coordenação-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC) e das Frentes de Proteção Etnoambiental (FPEs), tomamos conhecimento através da mídia de que estão em tramitação na Funai as exonerações da Coordenadora-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato, Leila Sílvia B. Sotto- Maior, e da Coordenadora de Planejamento e Apoio às Frentes de Proteção Etnoambiental, Paula W. L. Pires. Leia Mais…

ELLY BUARQUE: UM CIDADÃO BRASILEIRO

27-08-elly

Finalmente a entrevista com o “professor Pardal”, como ele mesmo se auto-intitula. Simples, com 67 anos, de fala mansa, venerado pelos colegas, primo do compositor Chico Buarque. Reluta em falar da família e do passado, quando foi torturado e exilado pelo regime militar. Hoje vive na Aldeia Velha, em Chapada dos Guimarães, fazendo o que fez a vida inteira: ARTE.

Um contato telefônico com Elly Buarque, graças ao advogado trabalhista Marcos Dantas, que nas horas vagas ataca de fotógrafo e conhece os artesãos e guias da Chapada dos Guimarães e breves perguntas antecedendo à entrevista, sobretudo sobre o parentesco com o compositor Chico Buarque de Holanda e sobre os “anos de chumbo”, tema meio proibido, pois “é coisa do passado.” Não foi fácil fazê-lo responder a estas questões, mas com o passar da entrevista, ele foi se soltando. Fomos recebidos na “casa do professor Pardal”, como faz questão de frisar, nos fundos de uma residência, na Aldeia Velha. Pessoa de modo simples, “um eremita”, que sobrevive da arte que circula no seu sangue desde pequeno. Genético talvez, até por fazer parte de uma família de artistas.

Mas Elly não se prende ao sobrenome Buarque. Aos 67 anos, com uma lucidez incrível, talha objetos na madeira com um precisão cirúrgica, inventa instrumentos musicais e coleciona bugigangas, peças antigas, raras, como um grilhão, meio enferrujado, usado nos tempos da escravidão.

Esse é o Elly Buarque, o mago, que traz vida à natureza morta. Um verdadeiro cidadão chapadense, ou melhor, brasileiro.

NR – *Esta entrevista foi publicada na revista Sina, impressa em abril de 2010. Elly Buarque faleceu hoje 27/08, na cidade que ele adotou, Chapada dos Guimarães. Nossa homenagem a este grande artista e cidadão brasileiro. (Fotos Marcos Dantas)
Leia Mais…