Servidores denunciam desmonte da Coordenação de Proteção de Índios Isolados

CARTA DOS SERVIDORES DAS FRENTES DE PROTEÇÃO ETNOAMBIENTAL E DA COORDENAÇÃO-GERAL DE ÍNDIOS ISOLADOS E DE RECENTE CONTATO DA FUNAI

Ao Presidente da Funai, Sr. Franklimberg Ribeiro
À Diretora de Proteção Territorial, Sra. Azelene Inácio

Senhor Presidente e Senhora Diretora,

Na última semana, nós, servidores da Coordenação-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC) e das Frentes de Proteção Etnoambiental (FPEs), tomamos conhecimento através da mídia de que estão em tramitação na Funai as exonerações da Coordenadora-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato, Leila Sílvia B. Sotto- Maior, e da Coordenadora de Planejamento e Apoio às Frentes de Proteção Etnoambiental, Paula W. L. Pires. Leia Mais…

ELLY BUARQUE: UM CIDADÃO BRASILEIRO

27-08-elly

Finalmente a entrevista com o “professor Pardal”, como ele mesmo se auto-intitula. Simples, com 67 anos, de fala mansa, venerado pelos colegas, primo do compositor Chico Buarque. Reluta em falar da família e do passado, quando foi torturado e exilado pelo regime militar. Hoje vive na Aldeia Velha, em Chapada dos Guimarães, fazendo o que fez a vida inteira: ARTE.

Um contato telefônico com Elly Buarque, graças ao advogado trabalhista Marcos Dantas, que nas horas vagas ataca de fotógrafo e conhece os artesãos e guias da Chapada dos Guimarães e breves perguntas antecedendo à entrevista, sobretudo sobre o parentesco com o compositor Chico Buarque de Holanda e sobre os “anos de chumbo”, tema meio proibido, pois “é coisa do passado.” Não foi fácil fazê-lo responder a estas questões, mas com o passar da entrevista, ele foi se soltando. Fomos recebidos na “casa do professor Pardal”, como faz questão de frisar, nos fundos de uma residência, na Aldeia Velha. Pessoa de modo simples, “um eremita”, que sobrevive da arte que circula no seu sangue desde pequeno. Genético talvez, até por fazer parte de uma família de artistas.

Mas Elly não se prende ao sobrenome Buarque. Aos 67 anos, com uma lucidez incrível, talha objetos na madeira com um precisão cirúrgica, inventa instrumentos musicais e coleciona bugigangas, peças antigas, raras, como um grilhão, meio enferrujado, usado nos tempos da escravidão.

Esse é o Elly Buarque, o mago, que traz vida à natureza morta. Um verdadeiro cidadão chapadense, ou melhor, brasileiro.

NR – *Esta entrevista foi publicada na revista Sina, impressa em abril de 2010. Elly Buarque faleceu hoje 27/08, na cidade que ele adotou, Chapada dos Guimarães. Nossa homenagem a este grande artista e cidadão brasileiro. (Fotos Marcos Dantas)
Leia Mais…

Temer extingue Reserva do Cobre; ato privilegia exploração de ouro por multinacionais

A reserva, nos estados do Amapá e Pará, abriga nove áreas protegidas onde vivem comunidades tradicionais

A reserva abriga nove áreas de preservação florestal entre unidades de conservação, parques e duas terras indígenas / Reprodução
A reserva abriga nove áreas de preservação florestal entre unidades de conservação, parques e duas terras indígenas / Reprodução

O presidente golpista, Michel Temer (PMDB), anunciou a extinção da Reserva Nacional do Cobre (Renca), localizada entre os estados do Pará e Amapá. A medida vai possibilitar a exploração mineral pela iniciativa privada e colocará em risco populações tradicionais e povos ancestrais que vivem na área.

Leia Mais…

“Os brancos querem acabar com as florestas”, alerta Cacique Raoni

Organização chama atenção para a adoção do marco temporal em processo de demarcação de terras indígenas

Cacique Raoni, maior referência do movimento indígena no Brasil / Marcelo Santos Braga
Cacique Raoni, maior referência do movimento indígena no Brasil / Marcelo Santos Braga

Aos 87 anos, o ancião conhecido por Cacique Raoni segue sendo a maior referência do movimento indígena no Brasil. O líder da etnia Kayapó, povo que vive em terras indígenas localizadas do sul do Pará ao norte do Mato Grosso, é conhecido internacionalmente por sua luta pela preservação da Amazônia e dos povos indígenas. Raoni Metuktire já viajou o mundo para defender os direitos dos povos originários e foi recebido por diversos presidentes. Leia Mais…

Sete deputados de MT votam a favor do ilegítimo. Vai ter troco nas urnas!

Apenas Ságuas Moraes (PT) foi a favor de abertura de processo contra Michel Temer

Primeiro a gente tira a Dilma, depois…

Essa balela nós cansamos de ouvir nas ruas e no Congresso Nacional quando da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Na época, o presidente da Câmara dos Deputados era Eduardo Cunha (PMDB), hoje condenado a mais de 15 anos de prisão. Ele aceitou o pedido de impedimento mesmo sem crime de responsabilidade.
Primeiro a gente cassa a Dilma, depois… Leia Mais…

Desmatamento eliminou 1,9 milhão de hectares do cerrado em dois anos

O ritmo de desmatamento do cerrado foi cinco vezes mais rápido que o medido na Amazônia / Agência Brasil
O ritmo de desmatamento do cerrado foi cinco vezes mais rápido que o medido na Amazônia / Agência Brasil

Ministério Público Federal questiona incentivos do governo ao agronegócio na região conhecida como “Matopiba”

O cerrado acumulou 1,9 milhão de hectares desmatados entre agosto de 2013 a julho de 2015, o equivalente a 1,7% da vegetação nativa remanescente. Apenas em 2015, uma área de 9.483 km² do cerrado brasileiro foi devastada. Leia Mais…