A mídia à beira de um ataque de nervos

Como a ascensão de candidatos e ideias à esquerda faz os conservadores perderem as estribeiras. Estudo dos casos inglês e norte-americano.

Por Glenn Greenwald, no The Intercept | Tradução: Antonio Martins

A elite política e a mídia britânica perderam pouco a pouco a cabeça, após a eleição de Jeremy Corbyn para a liderança do Partido Trabalhista – e ainda não parecem capazes de se recuperar. Nos Estados Unidos, Bernie Sanders é bem menos radical; os dois não estão sequer na mesma constelação política. Mas, especialmente em temas econômicos, Sanders é um crítico mais robusto e sistêmico do que os centros do poder oligárquico julgariam tolerável. Sua denúncia contra o controle da vida política pelas corporações é uma ameaça grave. Por isso, ele é visto como a versão norte-americana do extremismo de esquerda e uma ameaça ao poder do establishment.Leia Mais…