Cinco teses sobre o impasse e o futuro da luta democrática contra o golpe

Não se pode enfrentar uma contra-revolução com meia-esperança, com meia-razão, com meio-programa, com meia-energia, com meio-plano de futuro.

 

1-Sem um programa para o futuro e os caminhos democráticos para viabilizá-lo,  a maioria do povo brasileiro não se mobilizará para derrotar o golpe.

A esquerda brasileira esta reaprendendo a construir sua unidade na  diversidade. A formação da Frente Brasil Popular já significou um imenso salto de politização frente a movimentos separados por suas próprias dinâmicas de reivindicação e de horizontes reivindicativos, quando não de culturas corporativas. A unidade entre a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo tornou esta dinâmica unitária irresistível, isolando posições sectárias.  A posição histórica do PSOL de denunciar e lutar contra o golpe, apesar de sua oposição ao governo Dilma, foi um marco. Este sentimento de unidade abriu espaço para um reposicionamento do PDT e para lideranças do campo democrático, cultural e intelectual. A forca imprevista de resistência popular ao golpe é uma conseqüência e depende fundamentalmente do aprofundamento desta unidade.  Leia Mais…

A ‘multa-bomba’ de R$ 7 bilhões

Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Finalmente, depois de meses de pressão desumana, gestapiana, sobre o empresário Marcelo Odebrecht, o juiz Sérgio Moro levou-o a julgamento, condenando-o – baseado não em provas de sua participação direta, mas na suposição condicional de que um empresário que comanda uma holding com mais de 180 mil funcionários e que opera em mais de 20 países tem a obrigação de saber de tudo que ocorre nas dezenas de empresas que a compõem – a 19 anos e quatro meses de prisão. Leia Mais…

Artistas desocupam Iphan e pedem saída do presidente interino Temer

Após breve reunião com funcionários, o Iphan foi desocupado
Após breve reunião com funcionários, o Iphan foi desocupado

Assim que o presidente interino Michel Temer assumiu, foi anunciada a decisão de unificar os ministérios da Educação e Cultura em um só. A classe artística chamou essa atitude de estúpida e inconsequente.  Em carta enviada ao presidente, artistas de diversas áreas reagiram ao fim do Ministério da Cultura e demonstraram grande preocupação com o futuro da arte no país.  O texto apresentava o histórico da importância da pasta e apontava perdas irreparáveis para a cultura nacional. Leia Mais…

Polêmica: atos pirotécnicos vencerão a direita?

Governo Temer nascerá frágil. Mas ações como bloqueio de estradas podem, paradoxalmente, alimentar narrativa que criminaliza a esquerda e ampara o presidente ilegítimo

Por Rodrigo Vianna, em seu blog

Está claro que o governo golpista de Michel Temer começa frágil. Primeiro, porque os personagens que o cercam têm imagem péssima e capivaras gigantes na Justiça. E, em segundo lugar, porque o vice golpista colocará em ação um plano ultra-liberal, na linha do adotado por Macri na Argentina; só que fará isso sem ter recebido o aval das urnas. Leia Mais…

NOTA DE REPÚDIO – Os ‘dez-mandamentos’ de Mauro Mendes

Diante da insistência do prefeito da Capital, Mauro Mendes (PSB), no silêncio, o Sindicato dos Médicos do Estado de Mato Grosso (Sindimed-MT) realizou um levantamento de todos os acordos celebrados com gestor público pela classe médica. Compromissos firmados pela Prefeitura perante o Tribunal de Justiça e o Ministério Público do Estado (MPE), mas que apesar da seriedade das instituições em xeque, não se importou em quebrar palavras e queimar documentos; tudo debaixo dos olhos vendados do Poder Judiciário e do Executivo Estadual.   Leia Mais…

Entidades estimam perda de R$ 80 bi para o SUS com aprovação de PEC

Entidades ligadas à saúde estimam que Sistema Único de Saúde (SUS) perderá R$ 80 bilhões com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 143/2015, que espera segundo turno de votação no plenário do Senado Federal. “O risco é de desmonte expressivo da já precária situação da saúde pública brasileira”, diz carta enviada terça-feira (26) a todos os senadores. A carta é assinada pela Associação Nacional do Ministério Público de Contas, o Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Contas, a Associação Brasileira de Economia da Saúde, Associação Nacional do Ministério Público em Defesa da Saúde e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva.Leia Mais…

Impeachment: a pauta oculta

4x5 original

Pré-Sal para petroleiras globais. Fim da demarcação indígena. “Direito” ao armamento pessoal. Veto à família homoafetiva e muito mais. Que projetos escondem-se atrás da suposta “luta contra corrupção”

Por Cristina Fróes de Borja ReisTatiana BerringerMaria Caramez Carlotto | Imagem: Edward Biberman, Conspiração (1955)

A condução coercitiva do ex-presidente Lula em 4 de março foi, até o momento, o episódio mais grave da atual crise econômica e política no Brasil. A crise nos coloca diante de uma ameaça, diretamente ligada à correlação de forças existente na sociedade: os interesses do grande capital financeiro, há muito questionados, podem retomar completamente o controle do jogo. Leia Mais…

Juristas de Mato Grosso entregarão manifesto à OAB em defesa do Estado Democrático de Direito

Assim como está ocorrendo em todo o país, um grupo de juristas de Mato Grosso (advogados, professores, acadêmicos e profissionais do Direito) entregará nesta terça-feira, 29, às 17h30, ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Mato Grosso, Leonardo Campos, um manifesto em defesa do Estado Democrático de Direito, repudiando o apoio conferido pela entidade ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff sem qualquer fundamento jurídico, defendendo que não se pode, em hipótese alguma, admitir ataques e flexibilizações às garantias fundamentais estabelecidas pela Carta Magna. Leia Mais…