Em Jornada Nacional de lutas, MST ocupa fazenda de ministro Blairo Maggi

Movimento denuncia práticas de corrupção do Ministro da Agricultura em favor próprio e do agronegócio

Como parte da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária, cerca de 1000 famílias de todos os estados da região centro-oeste e Distrito Federal ocuparam, nesta madrugada (25), a fazenda do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), localizada em Rondonópolis, a 210 quilômetros da capital Cuiabá.

Conhecido como “Rei da Soja”, Maggi é dono de um grande império econômico, o grupo Amaggi, e envolvido em conjunto de denúncias de uso das legislaturas, como o de senador, para legislar em causa própria e para o fortalecimento das empresas de agronegócio. No ano de 2006 o Greenpeace lhe concedeu o prêmio Motosserra do ano, por elevados danos ao meio ambiente. Blairo também estava envolvido em eventos ainda não esclarecidos como a interceptação pela Força Área Brasileira (FAB) de uma aviação que transportava 500 quilos de cocaína. Segundo a FAB, a aeronave decolou da Fazenda Itamarati Norte, localizada no município de Campo Novo do Pareceis (MT). A fazenda pertence ao grupo Maggi.Leia Mais…

Governo Temer paralisa reforma agrária no Paraná

MST_PR

Cortes orçamentários, suspensão de programas de financiamento e alterações na legislação marcam a gestão Temer no Brasil

Por Carolina Goetten*
Do Brasil de Fato / MST

Cortes orçamentários, suspensão de programas de financiamento e alterações na legislação marcam a gestão Temer no Brasil. Segundo dados disponíveis no Portal da Transparência, cerca de R$ 122 milhões foram destinados à questão da terra em 2016, contra R$ 460 milhões no ano anterior. A postura do Governo Federal também se revela na Medida Provisória da regularização fundiária – MP759 –, que retornou à Câmara, no último dia 21, para votação dos deputados. O projeto preocupa movimentos sociais e trabalhadores do campo, que acusam a MP de destruir mecanismos estruturados há décadas no Brasil na perspectiva de construir a reforma agrária. Leia Mais…

Mulheres mato-grossenses se reúnem para lutar por direitos e agroecologia

10-04-encontro_mulheres_gias

“Sem feminismo não há agroecologia!”, ouvia-se pelas ruas de Cáceres, no Mato Grosso, na semana passada, enquanto centenas de mulheres marchavam pela ‘Princesinha do Pantanal’, como é conhecida a cidade, com cartazes em mãos e força na voz

Texto e Imagem por Andrés Pasquis – Gias / CPT

Vestiam uma camiseta de cor fúcsia, com pintura do artista mineiro Gildásio Jardim, que representava mulheres trabalhando, estudando, cultivando e ajudando-se. Nas costas da camisa era possível ler ‘Encontro Estadual Mulheres e Agroecologia’.

O evento foi organizado pelo Grupo de Intercâmbio em Agroecologia (Gias), uma rede de organizações e movimentos sociais que lutam por um sistema social, ambiental e economicamente justo, cuja base é a agroecologia.Leia Mais…

Incra institui referência de preço para privatização de assentamentos

Privilegiar titulação em detrimento de concessão real de uso reafirma compromisso da autarquia com a bancada ruralista e o agronegócio, aponta o MST.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) definiu uma planilha de preços de referência para fins do que chamam titulação de terras a serem pagos por assentados e nos processos de regularização fundiária.

Publicada no Diário Oficial nesta sexta-feira (31), a Instrução normativa nº 87/2017 apresenta valores da terra nua por hectare, ou seja, o valor do imóvel rural sem nenhum investimento relacionado à atividade rural. De acordo com a normativa do Incra, os valores estabelecidos na planilha expressam o custo médio da terra rural obtido pelo Incra para o Programa Nacional da Reforma Agrária.  Leia Mais…

Assentamento Roseli Nunes celebra 20 anos de resistência agroecológica e de luta por um território livre de agrotóxicos

“A lei deveria garantir a liberdade para todos, mas ainda não vivemos em um território livre. Por isso precisamos nos mobilizar e organizar”, disse Nério Gomes de Souza, da Associação Regional de Produtores Agroecológicos – Arpa, durante o aniversário de 20 anos do assentamento Roseli Nunes, localizado no município de Mirassol D’Oeste. O assentamento, que conta com cerca de 400 famílias em uma área de 3.500 hectares, é um símbolo de resistência frente a um sistema econômico e politicamente injusto, que favorece unicamente o agronegócio, a mineração e a matriz energética.

Leia Mais…

Lucinéia Freitas: “A liberação de venda de grandes terras para estrangeiros é uma afronta a nossa soberania”

 

No dia 8 de março, mulheres de todo o país foram às ruas chamar a atenção para a discriminação de gênero. Era mais um dia de luta para as camponesas. Elas não querem apenas flores. Querem uma sociedade mais justa para com elas. Continuam ganhando menos que os homens, sofrem 4 espancamentos por minuto, a grande maioria é responsável pela criação de filhos e filhas, morrem por causa de abortos clandestinos e são consideradas culpadas pelos estupros que sofrem e são usadas como mercadoria sexual.

Longe de serem recatadas e do lar, as mulheres do campo lutam contra a pobreza, violência e agora mais, lutam para que não sejam impedidas de se aposentarem por este governo golpista. Logo após a marcha realizada no dia 8 deste mês pelas ruas de Cuiabá, com sol a pino, ainda sobrou forças para uma longa mas produtiva conversa com Lucinéia Freitas, a Lú, da coordenação estadual do MST.

Guerreira, com fortes convicções políticas, assim como tantas outras camponesas. Nenhum direito a menos!
Leia Mais…

Polêmica: atos pirotécnicos vencerão a direita?

Governo Temer nascerá frágil. Mas ações como bloqueio de estradas podem, paradoxalmente, alimentar narrativa que criminaliza a esquerda e ampara o presidente ilegítimo

Por Rodrigo Vianna, em seu blog

Está claro que o governo golpista de Michel Temer começa frágil. Primeiro, porque os personagens que o cercam têm imagem péssima e capivaras gigantes na Justiça. E, em segundo lugar, porque o vice golpista colocará em ação um plano ultra-liberal, na linha do adotado por Macri na Argentina; só que fará isso sem ter recebido o aval das urnas. Leia Mais…

Movimentos sociais dizem não ao aparelhamento político do Incra

09-03-incra_siteMovimentos sociais, funcionários do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/SR13), realizaram na manhã desta quarta (09), com a participação do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado de Mato Grosso (Sindsep-MT), manifestação de apoio à manutenção do servidor de carreira Giuseppe Serra Seca Vieira no cargo de superintendente regional e rechaçaram a nomeação de Valdir Mendes Barranco para o cargo. Leia Mais…

Nota de pesar pela morte de Antônio Gonçalves Vicente, o professor Tati

toda morte matada, toda morte morrida,

se for vida doada, não é morte, é vida”

(Dom Pedro Casaldáliga)

O MST MT sente profundamente a morte do Professor Tati, que hospitalizado desde a quinta-feira passada (25), teve complicações e foi levado para UTI, e devido a uma infecção generalizada e uma pneumonia bilateral, provocou seu falecimento aos 61 anos de idade no dia de hoje pela manhã.   Leia Mais…